Unidos pelo mesmo ideal: salvar vidas

Artigo escrito por Padre Flávio Jorge Miguel Jr. é presidente da Santa Casa de Misericórdia de Sorocaba para o Jornal Cruzeiro do Sul

Em meados de setembro, 15, dia de Nossa Senhora das Dores, fez exatos três anos que a Igreja Católica assumiu a Gestão da Santa Casa de Misericórdia.

Nossa Senhora das Dores é a Mãe que chora por ver a dor dos seus filhos que sofrem por falta de cuidados. Naquele dia do início do nosso trabalho, a Prefeitura de Sorocaba precisou antecipar R$ 200 mil para comprarmos um mínimo de medicamentos. Não havia fios de sutura para realizar cirurgias. Também faltavam medicamentos e insumos hospitalares.

Agradeço ao Senhor por esses três anos de intenso e sério trabalho de toda nossa equipe, desde os funcionários mais simples que executam funções importantes na manutenção e higienização até o corpo de enfermagem e aos mais de 250 médicos, bem como à equipe de administração. Agradeço a todos, de coração. Agradeço à população de Sorocaba que tem sido doadora em espécie, em carinho e apoio na revitalização desta Instituição de quase 217 anos que se dedica por amor aos doentes, justamente estes que são aquela parcela da população que menos proteção social tem. Repito, um belo trabalho graças à nossa abençoada equipe que provê cuidado e recuperação da saúde e, em casos mais bonitos, o surgimento de novas vidas.

Apesar da Santa Casa ser gerida pela Igreja Católica, a Irmandade presta serviço independentemente de religião, raça, gênero e classe social, pois seu único objetivo é servir a todos com amor. A Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Sorocaba, em consonância com o Sistema Único de Saúde (SUS), oferece atendimento de saúde de média e alta complexidade, atendimento de urgência e emergência, cirurgias eletivas e tratamentos clínico-cirúrgicos especializados. Os pacientes são oriundos de Unidades Básicas de Saúde (UBS), Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e Unidades Pré Hospitalares (UPH) do município de Sorocaba, bem como das demais 48 cidades da região de Sorocaba.

Nos últimos anos o atendimento no Hospital é realizado exclusivamente aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Desde então, estamos passando por uma grande transformação, como recuperação da saúde financeira da entidade, com muito controle e com planejamento a médio e longo prazo. Na parte física, as instalações recebem novo telhado, nova fiação elétrica, aquisição de novos equipamentos. Mas, acima de tudo, procuramos valorizar nosso corpo de atendimento aos pacientes da Santa Casa para que possam receber o melhor tratamento gratuito possível.

É sempre bom lembrar que a verba do SUS não supre aos desafios diários que defrontamos. O advento do Covid-19 foi mais um desafio monumental, só enfrentado pelas verbas complementares de representantes públicos eleitos por Sorocaba, e por doações de sorocabanos. Nada disso, no entanto, tem evitado que ofereçamos o melhor atendimento aos pacientes, fato reconhecido em quase unanimidade.

Nesses três anos houve realizações como a do Centro Oncológico — reativação do Centro de Radioterapia e o Acelerador Linear de Partículas — e reformas gerais em andamento como de 80 quartos que se encontravam em estado crítico. Adquirimos novos equipamentos, houve reformadas de novas recepções com espaço mais amplo e confortável, uma nova fachada e paisagismo, dando à Santa Casa uma nova apresentação e dignidade.

Equipamentos essenciais como gerador de energia elétrica, ventiladores pulmonares, aparelhos de anestesia, arco cirúrgico, incubadoras neonatais, monitores multiparâmetros, mesas cirúrgicas, camas automatizadas, marcapassos cardíacos, desfibriladores, dentre outros que foram conquistados graças às emendas parlamentares de deputados federais e estaduais. Tudo o que temos conquistado nessa nova fase é graças à nova equipe em conjunto com os grandes parceiros: empresários, instituições, políticos, cidadãos comuns, voluntários e associações têm se desdobrado na realização de campanhas e ações para reconstruir o hospital. Cada um a seu modo e unidos pelo mesmo ideal: salvar vidas.

Isso tem permitido muito projetos atualmente em execução como a reforma de dois pavimentos contemplando 50 leitos de UTI; uma nova cozinha que vai produzir cardápios mais apropriados ainda; a reforma parcial das instalações elétricas e hidráulicas; reforma da Maternidade e o sistema de prevenção e combate a incêndio (AVCB).

Isso é muito? Isso ainda é muito pouco. Para atender aos mais de 93 mil pacientes (2019) e à demanda que temos para os próximos anos, necessitamos de muito mais. Temos muitos projeto que ainda não têm recursos, como a ampliação da Oncologia; a reforma do Socorro Geral e Ortopédico; a reforma e ampliação das áreas das Enfermarias; a conclusão do prédio inacabado que tem seis andares; a reforma da Psiquiatria; a reforma do Centro Cirúrgico; e uma reforma definitiva de instalações elétricas em alguns setores que irá permitir a climatização de todo hospital.

Até aqui nos ajudou o Senhor, pela sua Graça e por Suas realizações através da população de Sorocaba. E assim prosseguiremos: com fé, transparência e determinação para servir a quem mais precisa.